Em 17 anos sistema eleitoral avançou em transparência e inclusão

Foto archivo  

Caracas, 13 Oct. AVN.- A participação protagônica da cidadania em temas políticos na Venezuela é plena, e vem sendo assim desde o processo de transformação iniciado no Conselho Nacional Eleitoral (CNE), afirmou nesta quinta-feira a presidenta do organismo, Tibisay Lucena.

Durante a instalação do programa de acompanhamento internacional, realizado na sede principal do CNE, no centro de Caracas, Lucena afirmou que esta participação vem sendo impulsionada desde o ano 2000.

A presidenta do CNE explicou que isso permitiu que a brecha de 20% dos excluídos do Registro Eleitoral (RE) que existia nesse momento, tenha sido revertida. É por isso que o CNE mantém jornadas permanentes de registro dirigidas aos venezuelanos maiores de 18 anos de idade.

Essa realidade contrasta com a situação em outros países, "onde está sendo excluído o registro eleitoral e cortando os direitos políticos, cidadãos e os direitos humanos da cidadania desses países porque o registro eleitoral vai colocando cada dia mais dificuldades".

"No Poder Eleitoral na Venezuela pelo contrário temos aumentado, e ampliado este exercício dos direitos humanos", destacou Lucena em sua exposição sobre o sistema eleitoral venezuelano aos especialistas eleitorais dos Estados Unidos, América Latina e Europa que vão acompanhar as eleições deste domingo, em que serão escolhidos os 23 novos governadores do país.

A presidenta do Poder Eleitoral também recordou que há 18 anos a Venezuela contava com um sistema eleitoral manual, e desde o ano 2000 o sistema passou a ser 100% automatizado.

Além disso, é um sistema que permite ser auditado. Pelo menos 10 auditorias foram realizadas antes, durante e depois de cada eleição, com a particpação de técnicos do CNE, dos partidos políticos e de especialistas externos.

O sistema eleitoral no país "vinha dos anos 90 de ser um sistema completamente manual" e se transformou "em um sistema eleitoral robusto, seguro, confiável, transparente, rápido e o mais importante de tudo: submetido, sujeito ao escrutínio, monitoramento, revisão e auditoria constantemente por parte não somente do Conselho Nacional Eleitoral mas também das organizações com fins políticos, e temos uma empresa de auditoria externa e, em conjunto, construímos o sistema eleitoral que temos hoje em dia, que nos enche de grande orgulho e de grande satisfação".

Através desse sistema eleitoral, "o Poder Eleitoral garante os direitos políticos, cidadãos, os direitos humanos, e a expressão da soberania dos venezuelanos de forma segura e confiável".

 

13/10/2017 - 08:49 am