Governo ratifica permanência na mesa de diálogo com a oposição

Foto: Gregorio Terán

Caracas, 10 Ene. AVN.- O chefe da comissão para o processo de diálogo por parte do Executivo, Jorge Rodríguez, ratificou nesta terça-feira a disposição do governo para permanecer na mesa de diálogo com a oposição.

"Vamos permanecer na mesa de diálogo, no avanço que as mesas temáticas tiveram. Estamos convencidos de que os assuntos políticos se resolvem pelo diálogo pacífico e não pela via de violentar a Constituição. A única saída é o diálogo", afirmou durante coletiva de imprensa em Caracas.

Rodríguez afirmou que junto a chanceler, Delcy Rodríguez, se reuniu com o monsenhor Claudio María Celli, acompanhante do processo de diálogo e enviado do Vaticano, que manifestou o interesse do Papa Francisco de acompanhar o diálogo na Venezuela.

"É uma boa notícia para os venezuelanos, a persistente e teimosia amistosa do Papa Francisco para acompanhar o diálogo", afirmou.

Ele rechaçou as declarações do presidente da Conferência Episcopal Venezuelana (COV), Diego Padrón, que declarou que a mesa de diálogo na Venezuela fracassou "porque não houve compromissos" e ficou nos "discursos".

Em relação a esta postura, Rodríguez disse que é "muito curioso, contraproducente, que um representante da cúpula da igreja tenha opiniões de forma absurda que contradizem o que tem sido a posição e a palavra do Papa Francisco (...) aí se revela a profunda conspiração da hierarquia eclesiástica contra a paz da Venezuela", alertou.

Rodríguez acrescentou que o governo aposta pelo diálogo para resolver diferenças e garantir a paz no país, apesar de que um setor da oposição "está profundamente comprometido com a violência".

"Não vai ser fácil (o processo de diálogo) porque há profundas divisões no seio da oposição e porque lhes custa sustentar a palavra do diálogo", explicou.

10/01/2017 - 02:11 pm