Investimento de US$62 bilhões em projetos estratégicos reflete confiança da China na Venezuela

 

Caracas, 17 Feb. AVN.- Através da Comissão Mista de Alto Nível, Venezuela e China mantém 790 projetos que contam com um financiamento de US$62 bilhões, que demonstra a confiança do gigante asiático pelo país, destacou nesta quinta-feira o vice-presidente de Planejamento, Ricardo Menéndez.

No Fundo Conjunto China-Venezuela, criado em 18 de setembro de 2008, foram investidos US$20 bilhões e no Fundo Pesado e a Longo Prazo Chinês-Venezuelano, implementado em 16 de setembro de 2010, foram injetados outros US$ 42 bilhões.

"Isto é um esquema de financiamento, isto não é uma dívida. É um esquema onde a partir da produção petroleira e do fluxo petroleiro, nós temos uns recursos e vamos pagando permanentemente", afirmou Menéndez durante encontro com meios de comunicação em Caracas.

O ministro disse que a relação bilateral com a China "não entra nem sequer dentro do esquema concebido tradicionalmente como uma dívida de países", mas que se fundamenta em uma relação estratégica que "assumiu um desenvolvimento de mútuo interesse".

"Por isso é um aspecto de vantagem para os dois países, porque a China, um gigante do desenvolvimento econômico mundial, requer energia, e nós temos essa energia", disse o também presidente da Comissão Mista de Alto Nível pela Venezuela.

Menéndez detalhou que desta quantidade de projetos, 495 já foram concluídos, 205 estão em fase de execução, e outros 90 estão  em andamento. 

O setor com mais projetos é o da construção, com 217, seguido das indústrias básicas e intermediárias (146), agroalimentar (96), telecomunicações (34), economia comunal e social (31) e turismo (21), entre outros.

Segundo o ministro do Planejamento, a Comissão MIsta de Alto Nível China-Venezuela, que firmou 22 novos acordos nesta segunda-feira por US$2,7 bilhões, reflete a confiança do gigante asiático no potencial produtivo venezuelano, apesar da campanha de descrédito e dos relatórios negativos das agências de classificação de risco. 

Menéndez ressaltou que as relações de cooperação entre ambas as nações se consolida com o Plano de Desenvolvimento Conjunto 2010-2025 assinado há dois anos, que senta as bases para aprofundar em áreas estratégicas do desenvolvimento mútuo.

"O horizonte estratégico é o desenvolvimento da pátria. Isso é uma cota de confiança entre os dois países que têm um plano para 10 anos. A Comissão Mista é uma amostra da profunda confiança", afirmou.

Dos acordos de cooperação com a China surgiram projetos importantes como a construção e ampliação das linhas dos metrôs de Valencia e Maracaibo, os conjuntos habitacionais da Grande Missão Vivienda Venezuela, recuperação de estradas, ampliação do sistema de transporte terrestre e o fortalecimento do Sistema Elétrico Nacional (SEN).

A Venezuela lançou ainda dois satélites graças à cooperação com a China: o satélite Simón Bolívar, lançado em 29 de outubro de 2008; e Miranda, lançado em 28 de setembro de 2012.

Um dos acordos de maior transcendência, destacou Menéndez, é a instalação de uma refinaria conjunta na província de Guandong (extremo sul da China), que terá capacidade de processamento de 400 mil barris.

Sólidas relações

Embora as relações diplomáticas entre os dois países começaram em 28 de junho de 1974, ganharam força com a gestão do presidente Hugo Chávez.

Com o Acordo Marco de Cooperação, assinado há 16 anos, se consolidou o caráter estratégico do intercâmbio político, cultural e econômico entre os dois países.

Neste ano foi criada a Comissão Mista, e o comércio bilateral aumentou 13.714 veces, ao passar de US$1,4 bilhões registrados em 1974 a US$19,2 bilhões negociados em 2013.

 
 
Fotos: Ricardo Herdenez, AVN

17/02/2017 - 09:06 am